Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Boa Vista (1º Barão com grandeza, Visconde com grandeza e Conde de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Boa Vista (1º Barão com grandeza, Visconde com grandeza e Conde de)


Nasceu no Engenho do Trapiche, no cabo de S. Agostinho em Pernambuco, em 4 de Fevereiro de 1802.

Falleceu em Pernambuco em 4 de Outubro de 1870.

Filho do Coronel Francisco do Rego Barros, Fidalgo Cavalleiro, Coronel de Milicias, e de sua mulher D. Marianna Francisca de Paula Cavalcanti de Albuquerque. Neto paterno de Sebastião Antonio de Barros e Mello, Fidalgo Cavalleiro e Professo na Ordem de Christo, e de sua mulher D. Maria de Albuquerque e Mello, e materno do Coronel Francisco Xavier Cavalcanti e de sua mulher D. Felippa Cavalcanti de Albuquerque. Era irmão do Barão de Ipojuca.

Casou com D. Maria Anna Calvacanti do Rego Barros.

Bacharel em Mathematicas pela Universidade de Paris, foi Brigadeiro do Exercito, Deputado á Assembléa Geral por Pernambuco na 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª, 8ª legislaturas de 1830 a 1852. Senador por essa Provincia em 1850, Presidente da mesma duas vezes, de 1837 a 1841 e de 1841 a 1844, foi tambem Presidente da Provincia do Rio Grande do Sul, em 1865 e seu Commandante das Armas.

Grande do Imperio, Veador de S. M. a Imperatriz, Fidalgo Cavalleiro da Casa Imperial, Dignitario da I. Ordem do Cruzeiro, Cavalleiro da I. Ordem da Rosa, de S. Bento de Aviz, Commendador da Real Ordem de Christo de Portugal, membro do Instituto Historico e Geographico Brasileiro, etc.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo partido de sinople e de góles; no primeiro as armas dos Regos, que são: uma banda de prata ondeada de azul e sobre ella tres vieiras de oiro; no segundo, as armas dos Barros, — de vermelho com tres bandas de prata e no campo nove estrellas de oiro, 1, 3, 3 e 2 —; campanha de oiro com uma canna de assucar e um ramo de cafeeiro ao natural, póstos em santor, este em barra e aquella em banda. (Brazão passado em 30 de Agosto de 1870. Reg. no Cartorio da Nobreza, Liv. VI, fl. 110).

CORÔA: A de Conde.

CREAÇÃO DOS TITULOS: Barão por decreto de 18 de Junho de 1841. Barão com grandeza por decreto de 2 de Desembro de 1854. Visconde com grandeza por decreto de 12 de Desembro de 1858. Conde por decreto de 29 de Agosto de 1860.


BOCAINA. (Barão da) Francisco de Paula Vicente de Azevedo.

Nasceu em Lorena, na Provincia de S. Paulo, em 8 de Outubro de 1856, e ainda vive.

Filho do Coronel José Vicente de Azevedo e de sua mulher D. Angelica