Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Guaratiba (1º Barão, Barão com grandeza e Visconde com grandeza de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Guaratiba (1º Barão, Barão com grandeza e Visconde com grandeza de)


GUARATIBA. (1º Barão, Barão com grandeza e Visconde com grandeza de) Joaquim Antonio Ferreira.

Nasceu a 4 de Fevereiro de 1777, em Valença do Minho, Portugal.

Falleceu no Rio de Janeiro em 11 de Março de 1859, solteiro.

Filho de Manuel Gonçalves Ferreira, natural de Braga, e de sua mulher D. Joanna Francisca Ferreira, natural de Valença.

Portuguez de nascimento, muito amou o Brasil, onde chegou em 1796, e viveu toda a sua vida praticando actos de benemerencia que fizeram seu nome querido dos pobres.

Foi Capitão de Ordenanças do Regimento de Minas Novas e depois Tenente-Quartel-Mestre graduado em Capitão do 2 regimento de Milicias da Côrte.

Negociante matriculado na Real Junta do Commercio, era senhor de avultadissima fortuna. Foi pela Regencia nomeado membro da Commissão liquidante das presas brasileiras pelo cruzeiro inglez, na Costa d′Africa, e membro da Commissão de Superintendencia das subscripções para o novo Banco da Côrte.

Era membro da Junta Administrativa da Caixa da Amortisação, onde serviu desde a sua installação, em 27 de Fevereiro de 1828, até 28 de Junho de 1848; Provedor da Santa Casa da Misericordia, no biennio de 1828-1829 e Irmão (em 1813) Grande Benemerito, tendo exercido os cargos de Thesoureiro, durante 6 annos, e de Definidor desde 1823 até a sua morte, etc.

Grande do Imperio, Fidalgo Cavalleiro da Casa Imperial, por alvará de 20 de Julho de 1841; Commendador da Imperial Ordem da Rosa, em 1858, e da de Christo, em 1829; Cavalleiro da Imperial Ordem do Cruzeiro, em 1826; Cavalleiro da Real Ordem de Christo, em 1821; Cavalleiro Professo na Imperial Ordem de Christo, em 1826, e Commendador de N. S. da Conceição de Villa Viçosa, de Portugal.

BRAZÃO DE ARMAS: De prata e azul cortado por uma faxa arqueada de oiro, carregada em chefe de uma aguia estendida, de sable; e em ponta, sobre um monte, uma peça de artilharia de prata e sobre ella uma pomba com um ramo de oliveira no bico.

CREAÇÃO DOS TITULOS: Barão por decreto de 5 de Maio de 1844. Barão com grandeza por decreto de 15 de Novembro de 1846. Visconde com grandeza por decreto de 2 de Desembro de 1854.