Abrir menu principal
As flores e os pinheiros
por Tin-Tun-Sing, traduzido por Machado de Assis
Poema agrupado posteriormente e publicado em FalenasLira Chinesa. Retraduzido em lingua portuguesa a partir da tradução em francês por Judith Walter [1].

Vi os pinheiros no alto da montanha
        Ouriçados e velhos;
E ao sopé da montanha, abrindo as flôres
        Os calices vermelhos.

Contemplando os pinheiros da montanha,
        As flôres tresloucadas

Zombão d′elles enchendo o espaço em torno
        De alegres gargalhadas.

Quando o outono voltou, vi na montanha
        Os meus pinheiros vivos,
Brancos de neve, e meneiando ao vento
        Os galhos pensativos.

Volvi o olhar ao sitio onde escutára
        Os risos mofadores;
Procurei-as em vão; tinhão morrido
        As zombeteiras flôres.

NotasEditar

  1. ver Phalenas (1870), p. 215, em nota do próprio Machado de Assis.