Diccionario portuguez, e brasiliano/Advertência

ADVERTENCIA
SOBRE A ORTHOGRAPHIA , E PRONUNCIAÇAÕ DESTA OBRA.

ESTA Obra como produzida pelos Portuguezes, he Portugueza na eſcrita ; que póde admittir a penna Portugueza. E aſſim ſe uſa nella de Ç com zeura em lugar do S , cujo natural ſibilo naõ conſente a lingua Braſilica. Eſcreve-ſe Nha , nhe, &c. para formar aquella voz , que ſe profere nas ultimas ſyllabas deſtas noíſſs palavras , Tenha, Tenho.

Neſta lingua ha concurſo de muitas vogaes em alguns vocabulos : das quaes talvez cada huma faz ſyllaba per ſi , e muitas vezes duas , e três concorrem em huma ſó ſyllaba. Exemplo ſeja o verbo Aiopoai, que ſignifica , ordeno a alguem que faça alguma couſa : no qual o primeiro A he ſyllaba: Io, outra: e as três ultimas vogaes fazem outra ſyllaba , na qual O he liquido , AI diphthongo. Para ſe evitar a duvida , que neſſa parte podem padecer os menos verſados neſta lingua , coſtumaõ alguns pôr ſobre algumas vogaes dous pontos, como ſignal, que eſta vogal, que os tem , he ſolitaria , e faz ſyllaba por ſi ſeparada das outras. Donde ſe ſegue , que havendo duas , ou mais vogoaes ſem eſſes pontos , ſe devem unir em huma ſó ſyllaba.

O , pronuncia-ſe áſpero ſobre A, O, V, e brando ſobre E, I, T, como neſte nome Portuguez, Concerto. Se tem zeura, ſe profere brando ſobre A, O , V, como no Portuguez.

K, caracter Grego ſe introduzio aqui por neceſſidade com o ſom aſpero ſobre E , I , T, que ſe ſente na voz Grega Kyrie, e fe deve dar a muitas deſta lingua , como Okena , porta : Xekiriri, eſtou triſte Okyr , chove. Qu , para exprimir eſſe ſom ao modo Portuguez deſtas palavras Quero , Quizera, he inconveniente : porque além de viciar a propriedade do U que nefta lingua he liquido depois do Q , confunde a pronunciaçaõ de muitas dicções, que ſe eſcreverem do meſmo modo , e do meſmo modo ſe naõ pronunciariaõ , quaes ſaõ , Eboqué , eis-aqui: Aquâa, aquella ; Qué coty, para cá ; em que U he liquido. Oquena, '' , porta ; Açoquendá, fecho ; em que U naõ he liqueſcente.

G, he aſpero ferindo A , O , V, brando porém , ſobre E, I, Y, como na palavra Portugueza , Gigante. Mas quando tiver H immediatamente junto a ſi , ferirá com aſpereza E, I, exemplos fejaõ , Aimoinghé, meto dentro ; Namonhanghi, naõ faço.

H, nos exemplos acima naõ he aſpiraçaõ rigoroſa , ſó communica aſpereza ao G. Porém neftas palavras Ahẽ , homem , Ehẽ , ſim das mulheres; e alguma mais, ſe ha, he aſpiraçaõ aſpera , e perceptivel, lançando o halito com alguma violencia para fora.

I , nunca no idioma Braſilico he taõ rigoroſa conſoante , que fira a vogal como G, entre vogaes he conſoante duplez, como neſte verbo , Aiar, tomo ; onde o I faz o meſmo ſom , que o noſſo verbo Caiar. E com eſſa meſma vocalidade ſe enunciará , quando no principio da diçaõ eſtiver antes de vogal , como em Ioauçûba, affeiçaõ mutua. Excepto quando for articulo, porque entaõ fará ſyllaba por ſi , e para diſtinçaõ , ou elle , ou a vogal ſeguinte terá ſobre ſi dous pontos. Seguindo qualquer vogal fará com ella diphthongo : c quando naõ deva concorrer para diphthongo , a vogal antecedente levará dous pontos como ſeparada do I, o que ſe vê neſta palavra Pai , Senhor.

O - depois de conſoante , e antes de A , ou E , as mais vezes he liquida: exemplo, Teoboéra , cadáver. Quando naõ for liquida , terá ſobre ſi dous pontos, para fazer ſyllaba por ſi, como Aimoáng , imagino. Seguindo a outra vogal , fará diphthongo com ella , como no futuro, ãoãma , v. g. xe çaãourna , para eu ir. Mas ſenaõ fizer diphthongo , como ſuccede em muitas dições, terá a vogal antecedente dous pontos para ſignal como ſe tem dito , que deve ſeparar-ſe delle , como ſe vè neſte vocábulo , Anhangao , reprehendo com vituperio.

R , ſempre fere com brandura a vogal , como neſtas noſſas palavras Firo , Fera : ou eſteja no principio , ou no meio da diçaõ.

V, nunca he conſoante , ſalvo quando por melindre ſe uſa em lugar de B, como por Abá , Peçoa , Avá. Mas quando concorrem dous VV, ſobre outra vogal, fica liquido o ſegundo V, e o primeiro parece conſoante , porém com ſom taõ brando , que ſoa como G , exemplo , Unîme ahi ; que ſoa como Guime. Depois de conſoantes ſeguindo-ſe vogai, he liquido , excepto quando ſobre ſi tiver dous pontos, porque entaõ fará ſyllaba per fi, como na propoſiçaõ çui, de. Do meſmo modo naõ ſera liquida , quando ſobre ella cahir Gh, como em Amonghui, desfaço; verbo triſſyllabo , cuja ultima parte Ghi he diphthongo.

Y, he nota de voz gutural, que ſe fórma na garganta dobrada a lingua com a ponta inclinada abaixo , e lançando o halito opprimido na garganta, com hum ſom mixto , e conſuſo entre I , e mais V , e que naõ ſendo I, nem V, envolve ambos, como ſe vê neſte nome, Y, água. Os antigos para exprimirem eſte ſom , uſaraõ de jota com hum ponto em cima , e outro em baixo. Outros eſcreveraó Ig. Porém inſufficientemente huns , e outros , porque o jota tem diverſa vocalidade , que nunca chega a proferir eſte ſom guttural. Mais proporcionado he Y, que ſoando em ſua origem aos Gregos como vg, e pronunciando-a como V, os antigos Latinos, os modernos em muitos vocábulos o exprimem como I. O Catheciſmo antigo uſava de ambas as letras I, Y, promiſcuamente por jota. Aqui por naõ ſe multiplicarem ſem neceſſidade as letras , e pôr as que ſaõ neceſſarias , fe põem I , com o ſeu ordinário ſom, e ſe referva Y , para a vogal guttural.

A virgula impendente , que chamamos til, he aqui caracter rigoroſo , e neceſſario , para denotar aquelle ſom médio entre M, e N, e ſe acha nas vozes Braſilicas, como Tupã, Deos : cujo ſom he aquelle que ſe ſente neſtas palavras Portuguezas, vã coufa, sã coufa.

As conſoantes finaes ſe devem proferir perfeitamente. E aſſim quando acabaõ em M, como Aguacem, acho , ſe ha de exprimir o M, apertando os beiços. Acabando em N, como Anhan , corro, ſe ha de proferir o N com os beiços abertos , tocando a lingua no palato , e ſoltando-ſe logo com algum eſtalido ; e aſſim das mais conſoantes reſpectivamenre. Por eſſa razaõ neſte livro ſenaõ ſubſtitue til por M, nem N, por evitar-ſe confuſaõ , e reſervar-ſe o til para as dições , que trata o parágrafo antecedente : e para que ſe ſaiba em que letra , ſe M, ſe N, acaba a diçaõ; pois he neceſſario eſte conhecimento para a formaçaõ dos verbos por ſeus tempos, que pende deſtas finaes. Para o devido accento , ſe põem os Apices ; Circumflexo, e Agudo. Circumflexo na penúltima, como Tbâca, Ceo: faz longa eſſa ſyllaba. Agudo na ultima , como em Açó , vou ; he ſignal que ſe deve carregar neſſa ultima agudamente. Na penultima moſtra que eſſa ſyllaba he longa , e a ultima aguda , como Túpa , pai. Na antepenultima moſtra do meſmo modo, que eſſa ſyllaba he aguda, e as ſeguintes graves, e ſe devem pronunciar brevemente, como em o ſubjunctivo Iucáreme, matando. Quando na meſma diçaõ ſe acharem dous accentos, he ſignal que eſſa diçaõ he compoſta, e conforme ao dialecto , e propriedade da lingua Braſilica , cada huma das partes retem o ſeu accento proprio que tinha , quando ſeparada , como ſe vê neſte verbo Atúpãmonghetá, rezo, fallo com Deos : e neſte Açuguyóc, ſangro , tiro ſangue. A ſyllaba que tem til ſempre he aguda; naõ ſe lhe põem com tudo Apice, por os naõ mortiticar com o embaraço que haveria havendo de porſe ſobre o til agudo , para ſe lhe dar o devido accento , baſta eſta advertencia.

NB. Já ſe achava na impreſſaõ o Diccionario , quando ſe fez a aquiſiçaõ do Cathecifmo do Padre Araújo, donde ſe trasladaraõ aqui eſtas Advertencias ; ſe por iſſo ſe naõ pozeraõ os apices , que manda por , quando as vogaes naõ formaõ diphthongos; mas por-ſe-haõ , ſe ſe offerecer outra occaſiaõ para o fazer, como ſe eſpera.