Diferenças entre edições de "Terra de Jecas"

2 538 bytes adicionados ,  04h02min de 17 de julho de 2006
m
Revertidas edições por 555, para a última versão por Davanessa
m ({{CopyrightDesconhecido}})
m (Revertidas edições por 555, para a última versão por Davanessa)
=Menosprezo a Cascavel fez Sandálio decidir=
{{CopyrightDesconhecido}}
Certa vez, amigos de Sandálio dos Santos tomaram conhecimento dos repetidos convites feitos por Nhô Jeca para que se estabelecesse na Encruzilhada. O deboche desse pessoal, em tomo de uma fogueira na roda do chimarrão, acabou irritando Sandálio, que ouviu dizer da Encruzilhada ser “uma terra de jecas”.
 
Naquele momento a decisão lhe veio de estalo: iria para a vilazinha dos jecas e ajudaria a transformar o sonho de [http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Silv%C3%A9rio_de_Oliveira José Silvério de Oliveira ] em realidade.
 
Logo ao chegar a Cascavel, Sandálio dos Santos foi assumindo todas as tarefas que requeriam maior capacidade intelectual e discernimento. Começou como professor, tornou-se escrivão, policial e até mesmo médico, tendo curado centenas de pessoas manipulando uma coleção intitulada O Conselheiro Médico do Lar, do dr. Humberto O. Swartout, que o médico improvisado qualificava de “excelente”.
 
== Sucesso comunitário ==
Em breve os conselhos de Sandálio dos Santos a Silvério começaram a produzir resultados e da pequena vila começava a emergir uma cidade. Um a um, os benefícios urbanos foram chegando: distrito policial, vôos do Correio Aéreo Nacional, conquista do posto telefônico até então localizado em Colônia Lopeí, criação da primeira escolinha e da primeira capela religiosa, visitas semestrais do pároco iguaçuense monsenhor Guilherme Maria Thiletzek, nomeação de professores, designação de policiais e uma atuação política exemplar junto ao governo interventorial e à Prefeitura de Foz do Iguaçu, sendo criado, já em 1936, o Patrimônio Municipal de Aparecida dos Portos.
 
[[Imagem:Santos,_Eudes_-_D_Pedro_7.9.73_Gpo_esc_de_Cascavell.jpg|esquerda|]]'''''EUDES, FILHO DE SANDÁLIO, REPRESENTA D. PEDRO EM PARADA DE 7 DE SETEMBRO'''''
 
 
 
 
Cascavel, acertadamente, homenageia a memória de Sandálio dos Santos com a denominação de sua Biblioteca Pública Municipal. Homenagem justa a quem amava os livros e exerceu conscientemente a missão de ensinar. A Biblioteca Pública de Cascavel foi criada em 1964 pelo prefeito Octacílio Mion. Quando, em agosto, Sandálio morreu, foi proposto seu nome para a biblioteca, mas quem assinou a lei oficializando a Biblioteca Pública Municipal Sandálio dos Santos foi o prefeito Odilon Reinhardt, em 1965
 
(Fonte: Alceu A. Sperança, jornal '''O Paraná''', seção dominical ''Máquina do Tempo'')
 
'''Leia mais'''
 
[http://pt.wikisource.org/wiki/Cascavel HISTÓRIA DE CASCAVEL]