Diferenças entre edições de "O Judas em Sábado de Aleluia"

308 bytes adicionados ,  03h21min de 21 de outubro de 2009
m
Foram revertidas as edições de 201.35.149.188 (disc) para a última versão por Luckas Blade
m (Foram revertidas as edições de 201.35.149.188 (disc) para a última versão por Luckas Blade)
CHIQUINHA e FAUSTINO.
 
CHIQUINHA entra e senta-se é costura - Deixe-me ver se posso acabar este vestido para vesti-lo amanhã, que é Domingo de Páscoa. (Cose.) Eu é que sou a vadia, como meu pai disse. Tudo anda assim. Ai, ai! (Suspirando.) Há gente bem feliz; alcançam tudo quanto desejam e dizem tudo quanto pensam: só eu nada alcanço e nada digo. Em quem estará ele pensando! Na mana, sem dúvida. Ah, Faustino, Faustino, se tu soubesses!...
 
FAUSTINO, à parte - Fala em mim! (Aproxima-se de Chiquinha pé ante pé.)
 
CHIQUINHA - A mana, que não sente por ti o que eu sinto, elatem coragem para te enganafalar e enganar, enquanto eu, que tanto te amo, não ouso levantar os olhos para ti. Assim vai o mundo! Nunca terei coragemvalor para fazer-lhe a confissão deste amor, que me faz tão desgraçada; nunca, que morreria de vergonha! Ele nem em mim pensa. Casar-me com ele seria a maior das felicidades. (Faustino, que durante o tempo que Chiquinha fala vem aproximando-se e ouvindo com prazer quanto ela diz, cai a seus pés.)
 
FAUSTINO - Anjo do céu! (Chiquinha dá um grito, assustada, levanta-se rapidamente para fugir e Faustino a retém pelo vestido.) Espera!
CHIQUINHA, gritando - Ai, quem me acode?
 
FAUSTINO - Não sete assusteassustes, é o teu amante, o teu noivo... o ditoso Faustino!
 
CHIQUINHA, force)ando para fugir - Deixe-me!
 
FAUSTINO, tirando o chapéu - Não seme lembraconheces? É o teu Faustino!
 
CHIQUINHA, reconhecendo-o - Sr. Faustino!
 
FAUSTINO. sempre de joelhos - Ele mesmo, encantadora criatura! Ele mesmo, que tudo ouviu.
 
CHIQUINHA. escondendo o rosto nas mãos - Meu Deus!
CHIQUINHA - Deixe-me ir para dentro.
 
FAUSTINO - Oh. não! Ouvir-me ouve-ás primeiro. Por causa de tua irmã eu estava escondido nestes trajestrajas: mas prouve a Deus que eles me servissem para descobrir a sua pessoaperfídia e ouvir a tua ingênua confissão, tanto mais preciosa, quanto inesperada. Eu te amo, eu te amo!
 
CHIQUINHA - A mana pode ouvi-lo!
 
FAUSTINO - A mana! Que venha ouvir-me! Quero dizer-lhe anas elabochechas o que penso. Se eu tivesse adivinhado em ti tanta candura e amor, não teria passado por tantos dissabores e desgostos, e não teria visto com meus próprios olhos a maior das patifarias! Tua mana e... Enfim, eu cá sei o que ela é, e basta. Deixemo-la, falemos só no nosso amor! Não olhes para minhas botas... Tuas palavras acenderam em meu peito uma paixão vulcânico-piramidal e delirante. Há um momento que nasceu, mas já está grande como o universo. Conquistaste-me! Terás o pago de tanto amor! Não duvides; amanhã virei pedir-te a teu pai.
 
CHIQUINHA, involuntariamente - Será possível?!
CHIQUINHA - Oh! está me enganando... E o seu amor por Maricota?
 
FAUSTINO, declamando - Maricota trouxe o inferno para minha alma, se é que não levou minha alma para o inferno! O meu amor por ela foi-se, voou,sumiu extinguiu-se como um foguete de lágrimas!
 
CHIQUINHA - Seria crueldade se zombasse de mim! De mim, que ocultava a todos o meu segredo.
2 329

edições