Diferenças entre edições de "Contos de Grimm/A noiva do ladrão"

1 085 bytes adicionados ,  20h22min de 14 de fevereiro de 2013
sem resumo de edição
{{tradução}}{{navegar
|obra=[[Contos de Grimm]]<BR>
|autor=Irmãos Grimm
}}
<div class="prose">
{{multicol}}<div style="text-align:justify">[[Ficheiro:InicialE.svg|left|100px]]ra uma vez um moleiro que tinha uma filha muito linda, e quando ela cresceu, ele queria que nada lhe faltasse e que fosse bem casada. Ele pensava: — “Se algum pretendente aparecesse e pedisse a sua mão, eu ficaria muito feliz.” Não muito tempo depois, um pretendente apareceu, e que parecia ser muito rico, e como o moleiro nada encontrou que o desabonasse, então ele prometeu sua filha ao pretendente.
There was once on a time a miller, who had a beautiful daughter, and as she was grown up, he wished that she was provided for, and well married. He thought,
— “If any good suitor comes and asks for her, I will give her to him.” Not long afterwards, a suitor came, who appeared to be very rich, and as the miller had no fault to find with him, he promised his daughter to him. The maiden, however, did not like him quite so much as a girl should like the man to whom she is engaged, and had no confidence in him.
 
A jovem, contudo, não tinha a menor inclinação por ele, assim como uma garota deve gostar de um homem a quem ela foi prometida, e nem confiança lhe inspirava o rapaz. Quando ela o via, ou pensava nele, ela sentia uma aversão profunda. Uma vez ele disse a ela: — “Tu és a minha prometida, — “no entanto, jamais me fizeste uma visita.” A jovem respondeu: — “Não sei onde fica a tua casa.” Então, o noivo respondeu — “Minha casa fica lá longe na floresta escura.” Ela tentou se desculpar, e disse que não sabia o caminho até lá. O noivo respondeu: — “Domingo que vem, tu deves ir lá me fazer uma visita — “já chamei os convidados, e eu jogarei cinzas para que possas encontrar o caminho pela floresta.”
Whenever she saw, or thought of him, she felt a secret horror. Once he said to her,
— “Thou art my betrothed, and yet thou hast never once paid me a visit.” The maiden replied,
— “I know not where thy house is.” Then said the bridegroom,
— “My house is out there in the dark forest.” She tried to excuse herself, and said she could not find the way there. The bridegroom said,
— “Next Sunday thou must come out there to me; I have already invited the guests, and I will strew ashes in order that thou mayst find thy way through the forest.”
 
Quando chegou o domingo, e a donzela se pôs a caminho, ela ficou apreensiva, mas não sabia exatamente porque, e para garantir de que não se perderia na volta, ela encheu seus dois bolsos com ervilhas e lentilhas. Cinzas foram espalhadas na entrada da floresta, servindo de caminho para ela, porém, a cada passo, ela espalhava algumas ervilhas no chão.
When Sunday came, and the maiden had to set out on her way, she became very uneasy, she herself knew not exactly why, and to mark her way she filled both her pockets full of peas and lentils. Ashes were strewn at the entrance of the forest, and these she followed, but at every step she threw a couple of peas on the ground. She walked almost the whole day until she reached the middle of the forest, where it was the darkest, and there stood a solitary house, which she did not like, for it looked so dark and dismal. She went inside it, but no one was within, and the most absolute stillness reigned. Suddenly a voice cried,
 
Ela caminhou quase o dia todo até que ela chegou no meio da floresta, onde era mais escura, e lá ficava uma casa solitária, que ela não gostou a princípio, porque ela parecia tão escura e sombria. Ela entrou na casa, mas não havia ninguém dentro dela, e o mais absoluto silêncio reinava ali. Subitamente uma voz gritou:
— “Turn back, turn back, young maiden dear,
 
— “Volte, volte, minha querida donzela,”
“Tis a murderer”s house you enter here.”
 
— “É na casa de um matador que você está entrando agora.”
The maiden looked up, and saw that the voice came from a bird, which was hanging in a cage on the wall. Again it cried,
 
A jovem olhou e viu que a voz vinha de um passarinho, que estava pendurado numa gaiola na parede. E o passarinho gritou novamente:
— “Turn back, turn back, young maiden dear,
 
— “Volte, volte, minha querida donzela,”
“Tis a murderer”s house you enter here.”
 
— “É na casa de um matador que você está entrando agora.”
Then the young maiden went on farther from one room to another, and walked through the whole house, but it was entirely empty and not one human being was to be found. At last she came to the cellar, and there sat an extremely aged woman, whose head shook constantly. “Can you not tell me,” said the maiden,
— “if my betrothed lives here?”
 
Então a jovem continuou andando de um cômodo da casa para outro, e caminhou por toda a casa, mas ela estava totalmente vazia e não havia sequer um ser humano alí. Finalmente ela chegou num lugar, onde uma velhinha de idade avançada estava sentada, que não parava de chacoalhar a cabeça. — “Será que a senhora poderia me dizer,” disse a donzela, — “ se o meu pretendente mora aqui?”
— “Alas, poor child,” replied the old woman,
— “whither hast thou come? Thou art in a murderer”s den. Thou thinkest thou art a bride soon to be married, but thou wilt keep thy wedding with death. Look, I have been forced to put a great kettle on there, with water in it, and when they have thee in their power, they will cut thee to pieces without mercy, will cook thee, and eat thee, for they are eaters of human flesh. If I do not have com-passion on thee, and save thee, thou art lost.”
 
— “Ai, pobre criança! Respondeu a velhinha, — “onde você está se metendo? Tu estás no esconderijo de um matador. — “Pensas que és uma noiva que logo vai se casar, mas será com a morte que irás se casar. Veja, eu fui obrigada a colocar uma grande chaleira aqui, com água dentro dela, e quando estiveres em poder dele, você será cortada em pedacinhos sem misericórdia, serás cozida e te comerão, porque aqui se come carne humana. Se eu não tiver compaixão por você e te salvar, estarás perdida.”
Thereupon the old woman led her behind a great hogshead where she could not be seen. “Be as still as a mouse,” said she,
— “do not make a sound, or move, or all will be over with thee. At night, when the robbers are asleep, we will escape; I have long waited for an opportunity.” Hardly was this done, than the godless crew came home. They dragged with them another young girl. They were drunk, and paid no heed to her screams and lamentations.
 
Diante disso, a velhinha a levou para trás de um grande tonel onde ela não poderia ser vista. — “Fique quietinha como um rato,” disse ela, — “não faça nenhum barulho, nem se mova, do contrário não haverá salvação para ti.
They gave her wine to drink, three glasses full, one glass of white wine, one glass of red, and a glass of yellow, and with this her heart burst in twain. Thereupon they tore off her delicate raiment, laid her on a table, cut her beautiful body in pieces, and strewed salt thereon. The poor bride behind the cask trembled and shook, for she saw right well what fate the robbers had destined for her. One of them noticed a gold ring on the little finger of the murdered girl, and as it would not come off at once, he took an axe and cut the finger off, but it sprang up in the air, away over the cask and fell straight into the bride”s bosom.
{{multicol-break}}<div style="text-align:justify">
A noite, quando os ladrões estiverem dormindo, nós fugiremos; há muito tempo que estou esperando por uma oportunidade.” Mal haviam feito isto, quando o bando de desalmados chegou em casa. Eles tinham arrastado com eles uma outra garota. Estavam bêbedos, e não ligavam para os gritos e lamentos que ela dava.
 
Eles deram a ela vinho para beber, três copos bem cheios, um copo de vinho branco, um de vinho tinto e um copo de vinho amarelo, e diante disso o coração dela explodiu. Em seguida, eles arrancaram o delicado vestido dela, colocaram-na sobre a mesa, cortaram seu lindo corpo em pedaços, e espalharam sal sobre ele.
The robber took a candle and wanted to look for it, but could not find it. Then another of them said,
— “Hast thou looked behind the great hogshead?” But the old woman cried,
— “Come and get something to eat, and leave off looking till the morning, the finger won”t run away from you.”
 
A pobre noiva, que estava atrás do barril tremia e se sacudia toda, pois ela via muito bem que destino que os malvados reservavam para ela. Um deles notou um anel de ouro no dedo mínimo da garota que fora assassinada, e como o anel não queria sair de imediato, ele pegou um machado e arrancou o dedo fora, mas o dedo pulou no ar, por cima do barril, e caiu direto no peito da noiva.
Then the robbers said,
— “The old woman is right,” and gave up their search, and sat down to eat, and the old woman poured a sleeping-draught in their wine, so that they soon lay down in the cellar, and slept and snored. When the bride heard that, she came out from behind the hogshead, and had to step over the sleepers, for they lay in rows on the ground, and great was her terror lest she should waken one of them.
 
O bandido pegou uma vela e foi procurar o anel, mas não conseguiu encontrá-lo. Então, um outro do bando disse: — “Você já procurou atrás do tonel grande? Mas a velhinha gritou: — “Venham comer alguma coisa, e deixem para procurar amanhã de manhã, o dedo não vai fugir de vocês.”
But God helped her, and she got safely over. The old woman went up with her, opened the doors, and they hurried out of the murderers” den with all the speed in their power. The wind had blown away the strewn ashes, but the peas and lentils had sprouted and grown up, and showed them the way in the moonlight. They walked the whole night, until in the morning they arrived at the mill, and then the maiden told her father everything exactly as it had happened.
 
[[Ficheiro:InicialE.svg|left|100px]]ntão os ladrões disseram: — “A velha tem razão,” e desistiram da busca, e se sentaram para comer, e a velhinha colocou uma pílula de dormir no vinho deles, de modo que logo eles se deitaram na cela, e dormiram e roncavam.
When the day came when the wedding was to be celebrated, the bridegroom appeared, and the Miller had invited all his relations and friends. As they sat at table, each was bidden to relate something. The bride sat still, and said nothing. Then said the bridegroom to the bride,
— “Come, my darling, dost thou know nothing? Relate something to us like the rest.” She replied,
— “Then I will relate a dream. I was walking alone through a wood, and at last I came to a house, in which no living soul was, but on the wall there was a bird in a cage which cried,
 
Quando a noiva ouviu isso, ela saiu de trás do tonel, e teve de passar por cima dos ladrões, porque eles estavam deitados em fileiras no chão, e ela ficou com muito medo porque ela poderia acordar um deles.
— “Turn back, turn back, young maiden dear,
 
Mas Deus a ajudou, e ela conseguiu sair sã e salva. A velhinha saiu com ela, abriu as portas, e elas correram do covil dos bandidos com toda a velocidade que podiam. O vento havia dispersado as cinzas, mas as ervilhas e as lentilhas haviam brotado e crescido, e mostrava a elas o caminho sob a luz do luar. Elas caminharam a noite toda, até que de manhã elas chegaram ao moinho, e então a jovem contou ao seu pai tudo exatamente como tinha acontecido.
“Tis a murderer”s house you enter here.”
 
Quando chegou o dia quando o casamento havia de ser celebrado, o noivo apareceu, e o moleiro havia convidado todos os seus parentes e amigos. Quando eles se sentaram à minha, cada um tinha que contar uma história. A noiva sentou em silêncio e não disse nada. Então o noivo disse para a noiva:
And this it cried once more. “My darling, I only dreamt this. Then I went through all the rooms, and they were all empty, and there was something so horrible about them! At last I went down into the cellar, and there sat a very very old woman, whose head shook; I asked her, “Does my bridegroom live in this house?” She answered, “Alas, poor child, thou hast got into a murderer”s den, thy bridegroom does live here, but he will hew thee in pieces, and kill thee, and then he will cook thee, and eat thee.
— “Venha, querida, não tens nada para contar? Conte-nos uma história assim como eles fizeram.” Ela respondeu: — “Então, eu vou contar um sonho. Eu estava caminhado sozinha pela floresta, quando finalmente cheguei a uma casa, onde não havia nenhuma alma viva, mas na parede havia um pássaro dentro de uma gaiola que gritava:”
 
— “Volte, volte, minha querida donzela,”
“ My darling, I only dreamt this. But the old woman hid me behind a great hogshead, and, scarcely was I hidden, when the robbers came home, dragging a maiden with them, to whom they gave three kinds of wines to drink, white, red, and yellow, with which her heart broke in twain. My darling, I only dreamt this. Thereupon they pulled off her pretty clothes, and hewed her fair body in pieces on a table, and sprinkled them with salt. My darling, I only dreamt this. And one of the robbers saw that there was still a ring on her little finger, and as it was hard to draw off, he took an axe and cut it off, but the finger sprang up in the air, and sprang behind the great hogshead, and fell in my bosom. And there is the finger with the ring!” And with these words she drew it forth, and showed it to those present.
 
— “É na casa de um matador que você está entrando agora.”
The robber, who had during this story become as pale as ashes, leapt up and wanted to escape, but the guests held him fast, and delivered him over to justice. Then he and his whole troop were executed for their infamous deeds.
 
E o passarinho gritou isso mais de uma vez.
</div>
 
— “Querido, é só um sonho que eu tive. Então, eu caminhei por todos os cômodos da casa, e todos estavam vazios, e alguma coisa horrível havia naquele lugar!
== Veja também ==
{{multicol-break}}<div style="text-align:justify">
* [http://www.grimmstories.com/fr/grimm_contes/le_fiance_brigand A Noiva do Ladrão] - em francês.
Finalmente, cheguei até um lugar, onde uma mulher, muito muito velha, estava sentada, e ela sacudia a cabeça, quando lhe perguntei:
 
— “O meu noivo mora nesta casa?” Ela respondeu:
[[File:RobberBridegroom-Crane1886.jpg|thumb|300px|right|<center>'''[[Contos de Grimm/A noiva do ladrão|A Noiva do Ladrão]]<br>ilustração de [[:w:Walter Crane|Walter Crane (1845-1915)]]</center>''']]
— “Oh, pobre menina, entraste no covil de um matador, teu noivo mora aqui, e ele te cortará em pedaços, e te matará, depois ele irá cozinhá-la e irá comê-la.”
 
— “Querido, é só um sonhe que eu tive. Mas a velhinha me escondeu de trás de um tonel grande, e mal havia me escondido, quando os ladrões chegaram em casa, e arrastavam uma donzela com eles, para a qual eles ofereceram três tipos de vinhos para beber, branco, tinto e amarelo, e depois o coração dela estourou.”
 
— “Querido, é só um sonhe que eu tive. Tiraram-lhe então, o seu lindo vestido, e cortaram o belo corpo da garota em pedaços em cima da mesa, e derramaram sal nele.”
 
— “Querido, é só um sonhe que eu tive. E um dos ladrões viu que havia um anel no dedo mínimo da garota, e como era muito difícil removê-lo, ele pegou um machado e corteu fora o dedo dela, mas o dedo pulou no ar, e saltou por cima do tonel grande, e caiu dentro do meu peito! E lá estava o dedo com o anel!” E depois que disse estas palavras, tirou o dedo para fora, e mostrou para os que estavam presentes.
 
[[Ficheiro:InicialO.svg|left|100px]] ladrão, que durante esta história ficou branco que nem cera, levantou-se e quis fugir, mas os convidados o dominaram, e o entregaram para a justiça. Então, ele e todo o seu bando foram executados por seus crimes infames.<br><br>{{separador}}{{multicol-end}}
 
</div>
[[en:Grimm's Household Tales, Volume 1/The Robber Bridegroom]]
[[de:Der Räuberbräutigam (1857)]]