Diferenças entre edições de "A Carne/XV"

7 bytes adicionados ,  17h32min de 28 de agosto de 2013
sem resumo de edição
m (clean up)
}}
 
— Que lindo está o dia, exclamou o coronel, chegando à porta que dizia para o terreiro. - Um tempo firme, sim senhor! Jacinto!
 
— Sinhô ! acudiu um preto velho.
 
— Para onde foi a gente hoje?
O coronel respirou à larga o ar fresco, puro, da manhã resplendente. Dormira toda a noite, não tivera dores, estava bem disposto. Queria expandir-se, queria conversar.
 
— Logo hoje que estou sequioso por uma prosa é que me foge o Manduca, é que se deixa ficar na cama a Lenita! Forte coisa ! Vou fazer uma extravagância, vou dar uma volta pelo cafezal.
 
E mandou arrear uma égua velha, muito mansa, andadeira, uma rede, dizia ele. Saiu, foi visitar o cafezal, coisa que fazia raramente, uma ou outra vez por ano.
De quando em quando estremecia com um calafrio. Sentou-se à mesa meio de lado, alquebrada, lânguida.
 
— Melhor cara traga o dia de amanhã! Gritou o coronel ao vê-la. Parece eque passou a noite no cemitério. Que é que teve?
 
— Uma ligeira indisposição.
 
— Hum! Já eu estava vendo isso mesmo ontem à noite. Ai moças, moças ! Isso enquanto não casam... Que há de querer um mingauzinho de cará?
 
— Não, obrigada.
— Eu digo... digo... não digo coisa nenhuma.
 
— Já se deixa ver que quer cala ...
 
— Nem sempre consente. O Dr. Mendes Maia perdeu o seu tempo, a sua retórica, o seu papel, a sua tinta e o seu selo. Eu não me caso com ele.
— Que espécie de homem é?
 
— EÉ um bacharel em direito como a maioria dos bacharéis em direito. Parece-me boa pessoa. Homem, sou franco, para mim tem um defeito capital, é nortista. No mais, não há que dizer. Lenita, que hei de eu responder ao homem?
 
— Boa pergunta! Responda que eu não me quero casar que agradeço muito a honra da proposta, e coisas e tal, uma tábua cortês.
— Não há que pensar.
 
— Esta mocidade! Para que tomar decisões de afogadilho, quando há tempo para refletir, para pesar todos os prós e iodostodos os contras?
 
— A resposta agora, ou daqui a um ano há de ser a mesma: não quero.
— E nem tão pouco "desta água não beberei". Sabido, mas eu não quero mesmo.
 
— Bom, bom; não quer, não quer! Amanhã lá segue a recusa: que se agüenteaguente o Dr. Mendes Maia.
 
[[Categoria:A Carne|Capítulo 15]]
199

edições