Diferenças entre edições de "História da Mitologia/XIX"

13 bytes adicionados ,  14h28min de 5 de abril de 2014
 
O vale de Nemeia foi assolado por um terrível leão. Euristeu ordenou que Hércules lhe trouxesse a pele deste monstro. Depois de usar em vão sua clava e setas contra o leão, Hércules estrangulou o animal com suas mãos. Ele retornou carregando o leão morto em seus ombros; mas Euristeu ficou tão assustado ao ver o animal morto, e diante da prova da força prodigiosa do herói, que lhe ordenou que lhe desse conta de suas proezas fora da cidade dali em diante. A sua próxima tarefa seria matar a [[:w:Hidra de Lerna|Hidra]].
 
Este monstro aterrorizava o território de [[:w:Argos (Grécia)|Argos]], e habitava um pântano perto do poço de [[:w:Amimome|Amimome]]. Este poço tinha sido descoberto por Amimone quando uma seca assolou a região, e a história conta que [[:w:NetunoNeptuno (mitologia)|Netuno]], que a amava, havia permitido que ela tocasse a rocha com seu tridente, surgindo daí uma fonte com três nascentes. Nesse local, a Hidra começou a aparecer, e Hércules foi enviado para destruí-la. A Hidra tinha nove cabeças, sendo que a do meio era imortal. Hércules esmagou as cabeças dela com sua clava, mas no lugar da cabeça golpeada, duas outras surgiam a cada investida. Finalmente, com a ajuda de [[:w:Iolau|Iolau]], seu fiel criado, ele queimou a cabeça da Hidra, enterrando a nona cabeça, que era imortal, debaixo de uma pedra gigantesca.
 
O outro trabalho era limpar os estábulos de [[:w:Áugias|Áugias]]. Áugias, rei de Elis, tinha um rebanho com três mil bois, cujos estábulos não haviam sido limpos há mais de trinta anos. Hércules desviou os rios [[:w: Rio Alfeu|Alfeu]] e Peneu<ref>Rio Peneu, rio do [[:w:Peloponeso|Peloponeso]], na [[:w:Grécia|Grécia]]</ref> que passou a atravessá-los, fazendo a limpeza dos estábulos num único dia.