Diferenças entre edições de "Viagens de Gulliver/Parte III/VIII"

61 bytes adicionados ,  02h07min de 15 de abril de 2014
sem resumo de edição
''[Mais histórias sobre Glubbdubdrib. Correção das histórias antiga e moderna.]''
 
Desejando conhecer aquelas personagens antigas que haviam se notabilizado pela inteligência e pela erudição, dediquei um dia inteiro para essa finalidade. Propus então que [[:w:Homero|Homero]] <ref><font color=green>'''Homero: '''</font>viveu por volta do ano 850 a.C, foi poeta épico da Grécia Antiga, ao qual tradicionalmente se atribui a autoria dos poemas épicos Ilíada e Odisseia.</ref> e [[:w:Aristóteles|Aristóteles]] <ref><font color=green>'''Aristóteles: '''</font>(em grego antigo: Ἀριστοτέλης, transl. Aristotélēs; Estagira, 384 a.C. — Atenas, 322 a.C.) foi um filósofo grego, aluno de Platão e professor de Alexandre, o Grande.</ref> aparecessem diante de todos os seus comentadores, estes, porém, eram em número tão elevado, que centenas deles foram obrigados a esperar na corte, e nas salas externas do palácio. Logo de vista conheci e pude distinguir estes dois heróis, não só dentre a multidão, mas também um do outro.
 
Homero era o mais alto e a pessoa mais simpática dentre os dois, caminhava de forma bastante correta para uma pessoa da sua idade, e o seus olhos eram os mais vivos e penetrantes dentre os que já havia visto. Aristóteles andava muito curvado, e usava uma bengala. Seu rosto era magro, seus cabelos eram lisos e finos, e sua voz cavernosa. Logo notei que os dois eram verdadeiros estranhos em relação aos demais que ali compareciam, e que nunca tinham visto ou ouvido falar deles; e um fantasma de cujo nome declinarei, me sussurrou: "que estes comentadores sempre se mantinham nos lugares mais afastados dos seus comentados, no mundo inferior, devido ao sentimento de vergonha e culpa, porque haviam representado de forma tão adulterada o pensamento dos autores para a posteridade."
 
Eu apresentei '''[[:w:Dídimo Calcenteros|Dídimo]]'''<ref><font color=green>'''Dídimo Calcenteros'''</font color=green> ou '''Dídimo de Alexandria''' (em grego: '''Δίδυμος χαλκέντερος'''; ca. 63 a.C. — 10) foi gramático grego que viveu em Alexandria. Junto a outros quatro gramáticos de Alexandria, nomeadamente Aristônicos, Seleucos e Filoxenos, dedicou-se Dídimo ao estudo dos textos de Homero.</ref> e <font color=green>[http://pt.wikipedia.org/wiki/Eustátio_de_Antioquia '''Eustácio''']</font color=green> à Homero, e os convenci para que fossem tratados melhor talvez do que merecessem, pois ele logo notou que eles queriam que um gênio assumisse o comando do espírito do poeta. Aristóteles, porém, perdeu toda sua paciência devido ao relato que lhe fiz de <font color=green>[http://pt.wikipedia.org/wiki/João_Duns_Escoto '''Escoto''']</font color=green> e de <font color=green>[http://pt.wikipedia.org/wiki/Pierre_de_la_Ramée '''Ramus''']</font color=green>, quando lhes apresentei a ele, e perguntou-lhes, "se os outros membros daquela tribo eram tão ignorantes como eles próprios?"
 
Em seguida, solicitei ao governador para que evocasse <font color=green>[http://pt.wikipedia.org/wiki/René_Descartes '''Descartes''']</font color=green> e <font color=green>[http://pt.wikipedia.org/wiki/Gassendi '''Gassendi''']</font color=green>, com quem insisti para que explicassem seus sistemas a Aristóteles. Este grande filósofo espontâneamente reconheceu seus próprios equívocos com relação à filosofia natural, alegando que muitas vezes fizera uso da imaginação, como fazem todas as pessoas, e ele achou que Gassendi, que havia tornado a doutrina de <font color=green>[http://pt.wikipedia.org/wiki/Epicuro '''Epicuro''']</font color=green> tão aceitável quanto possível, bem como os vórtices de Descartes, haveriam de ser desmascarados. Ele prognosticou a tão conhecida teoria da atração, de quem os sábios em questão são seus zelosos divulgadores. Disse ele, "que os novos sistemas da natureza eram apenas novos modismos, que poderiam variar em todas as épocas, e mesmo aqueles, que fingem demonstrar essas teorias a partir de princípios matemáticos, teriam seus momentos de glória somente por um curto período de tempo, perderiam o seu brilho quando isso fosse determinado."