Diferenças entre edições de "A Cartomante"

96 bytes adicionados ,  03h43min de 11 de outubro de 2006
m
sem resumo de edição
(+ cat)
m
{{navegar
|obra={{PAGENAME}}A Cartomante
|autor=Machado de Assis
|seção=[[Várias Histórias (Machado de Assis)|Várias Histórias]]
|notas=Publicado originalmente no jornal ''Gazeta de Notícias'', no ano de 1984
}}
 
HAMLET observa a Horácio que há mais cousas no céu e na terra do que sonha a nossa filosofia. Era a mesma explicação que dava a bela Rita ao moço Camilo, numa sexta-­feira de novembro de 1869, quando este ria dela, por ter ido na véspera consultar uma cartomante; a diferença é que o fazia por outras palavras.
sonha a nossa filosofia. Era a mesma explicação que dava a bela Rita ao
moço Camilo, numa sexta-­feira de novembro de 1869, quando este ria dela,
por ter ido na véspera consultar uma cartomante; a diferença é que o fazia
por outras palavras.
 
- Ria, ria. Os homens são assim; não acreditam em nada. Pois saiba que fui, e que ela adivinhou o motivo da consulta, antes mesmo que eu lhe dissesse o que era. Apenas começou a botar as cartas, disse-­me: "A senhora gosta de uma pessoa..." Confessei que sim, e então ela continuou a botar as cartas, combinou-­as, e no fim declarou­-me que eu tinha medo de que você me esquecesse, mas que não era verdade...
- Ria, ria. Os homens são assim; não acreditam em nada. Pois saiba que
fui, e que ela adivinhou o motivo da consulta, antes mesmo que eu lhe
dissesse o que era. Apenas começou a botar as cartas, disse-­me: "A senhora
gosta de uma pessoa..." Confessei que sim, e então ela continuou a botar as
cartas, combinou-­as, e no fim declarou­-me que eu tinha medo de que você
me esquecesse, mas que não era verdade...
 
- Errou! interrompeu Camilo, rindo.
 
- Não diga isso, Camilo. Se você soubesse como eu tenho andado, por sua causa. Você sabe; já lhe disse. Não ria de mim, não ria...
causa. Você sabe; já lhe disse. Não ria de mim, não ria...
 
Camilo pegou-­lhe nas mãos, e olhou para ela sério e fixo. Jurou que lhe queria muito, que os seus sustos pareciam de criança; em todo o caso, quando tivesse algum receio, a melhor cartomante era ele mesmo. Depois, repreendeu­-a; disse-­lhe que era imprudente andar por essas casas. Vilela
queria muito, que os seus sustos pareciam de criança; em todo o caso,
quando tivesse algum receio, a melhor cartomante era ele mesmo. Depois,
repreendeu­-a; disse-­lhe que era imprudente andar por essas casas. Vilela
podia sabê-­lo, e depois...
 
 
- Qual saber! Tive muita cautela, ao entrar na casa.
Foi por esse tempo que Rita, desconfiada e medrosa, correu à cartomante para consultá­-la sobre a verdadeira causa do procedimento de Camilo. Vimos que a cartomante restituiu-­lhe a confiança, e que o rapaz repreendeu­-a por ter feito o que fez. Correram ainda algumas semanas. Camilo recebeu mais duas ou três cartas anônimas, tão apaixonadas, que não podiam ser advertência da virtude, mas despeito de algum pretendente; tal foi a opinião de Rita, que, por outras palavras mal compostas, formulou este pensamento:
 
- A virtude é preguiçosa e avara, não gasta tempo nem papel; só o interesse é ativo e pródigo.
é ativo e pródigo.
 
Nem por isso Camilo ficou mais sossegado; temia que o anônimo fosse ter com Vilela, e a catástrofe viria então sem remédio. Rita concordou que era possível.
No dia seguinte, estando na repartição, recebeu Camilo este bilhete de Vilela: "Vem já, já, à nossa casa; preciso falar­-te sem demora." Era mais de meio-­dia. Camilo saiu logo; na rua, advertiu que teria sido mais natural chamá-­lo ao escritório; por que em casa? Tudo indicava matéria especial, e a letra, fosse realidade ou ilusão, afigurou­-se­-lhe trêmula. Ele combinou todas essas cousas com a notícia da véspera.
 
- Vem já, já, à nossa casa; preciso falar-­te sem demora, - repetia ele com os olhos no papel.
os olhos no papel.
 
Imaginariamente, viu a ponta da orelha de um drama, Rita subjugada e lacrimosa, Vilela indignado, pegando da pena e escrevendo o bilhete, certo de que ele acudiria, e esperando­o para matá­-lo. Camilo estremeceu, tinha medo: depois sorriu amarelo, e em todo caso repugnava­-lhe a idéia de recuar, e foi andando. De caminho, lembrou­-se de ir a casa; podia achar algum recado de Rita, que lhe explicasse tudo.
chão.
 
[[categoriaCategoria:Contos brasileiros]]
<center>FIM</center>
[[Categoria:Várias Histórias]]
 
[[categoriaCategoria:1884]]
[[categoria:Machado de Assis]]
[[categoria:Contos brasileiros]]
[[categoria:Realismo brasileiro]]
[[categoria:1884]]