Diferenças entre edições de "Correspondência ativa de Euclides da Cunha em 1906"

m
sem resumo de edição
m
m
 
 
<div class="prose">
Não querendo demorar a resposta à sua carta de ontem, escrevo-lhe neste papel, certo de que me desculpará. A minha resposta é simples: há grande, absoluto engano no que imagina. A questão é muito outra ― e você é inteiramente estranho a ela. Veja o inconveniente de se tirarem deduções de atos e palavras isoladas. Além disso, apesar de aborrecido por um sem número de contrariedades, julgo que não o tratei mal. Na sua idade nunca se é um homem baixo. Não creia que lhe houvesse feito uma tal injustiça. A minha casa continua aberta sempre aos que são dignos e bons. Não poderá fechar-se para você. Quando souber a razão do meu aborrecimento, avaliará a injustiça que fez a si próprio e a mim. Até sábado. Estude, seja sempre o mesmo rapaz de nobres sentimentos e disponha dos poucos préstimos do amoamº., crdocr<sup>do</sup>., obdoob<sup>do</sup></div>.
 
 
 
:Euclides da Cunha
Subscrevo-me sempre com o mais elevado apreço
 
De V. Exa. com., atº. crdocr<sup>do</sup>. abrdoabr<sup>do</sup>.
 
:Euclides da Cunha