Abrir menu principal

CENA II

MARGARIDA e MARTA

MARGARIDA
Ó Deus clemente!
Esclarece os meus temores!
Não há nada que ele ignore;
nada escapa ao seu engenho.
O enleio que ante ele eu tenho
faz que eu de mim própria core.
Digo-lhe a tudo que sim.
Pareço uma criancinha.
Sou mais dele do que minha.
Mas que acharia ele em mim?