Fratelli d'Italia

(Redirecionado de Irmãos da Itália)
Fratelli d'Italia (Irmãos da Itália) Flag of Italy.svg
Letra por Goffredo Mameli, 1847
Melodia por Michele Novaro, 1847
Conhecido também como Inno di Mameli (italiano: Hino de Mameli) e Il canto degli Italiani (italiano: O canto dos italianos)
Ouça este texto (4,02 MB, ajuda | info da mídiadownload)

Hino adotado em 1846 de facto e em 2005 de juris. (artigo na Wikipédia)

  
Irmãos da Itália
A Itália despertou
Do elmo de Cipião[1]
Cingiu-se a cabeça.
Onde está a Vitória?
Lhe estenda a cabeleira,[2]
Porque escrava de Roma
Deus a criou.

Unimos-nos à coorte[3]
Estejamos prontos para a morte
A Itália chamou. Sim!

Nós somos há séculos
Desprezados, zombados,
Porque não somos um povo,
Porque somos divididos.
Nos una uma única
Bandeira, uma esperança:
De fundirmo-nos juntos
Enfim a hora chegou.

Unimos-nos à coorte[3]
Estejamos prontos para a morte
A Itália chamou. Sim!

Unimo-nos, amemo-nos,
a União, e o amor
Revelam aos Povos
Os caminhos do Senhor;
Juremos tornar livre
O solo natal:
Unidos por Deus
Quem pode nos vencer?

Unimos-nos à coorte[3]
Estejamos prontos para a morte
A Itália chamou. Sim!

Dos Alpes à Sicília
Por toda a parte é Legnano,[4]
Cada homem de Ferruccio[5]
Tem o coração, tem a mão,
As crianças da Itália
Chamam-se Balilla[6],
O som de cada sino
Tocou às Vésperas[7].

Unimos-nos à coorte[3]
Estejamos prontos para a morte
A Itália chamou. Sim!

São juncos que dobram
As espadas vendidas:
A Águia da Áustria
Já as penas perdeu[8]
O sangue da Itália,
O sangue Polonês,
Bebeu, com o o cossaco,
Mas o coração as queimou[9].

Unimos-nos à coorte[3]
Estejamos prontos para a morte
A Itália chamou. Sim!

NotasEditar

  1. O elmo de Cipião: A Itália tem de novo na cabeça o elmo de Cipião Africano, o general romano que em 202 a. C. derrotou em Zama o cartaginês Aníbal. A Itália voltou a combater.
  2. Que a Vitória ofereça sua coma, ou seja, os longos cabelos, a Roma. Na Roma Antiga as escravas tinham suas cabeleiras cortadas e apenas as mulheres livres podiam usar cabelos longos. Assim a vitória deverá ter sua cabeleira cortada, porque a vitória é escrava de Roma que será vencedora.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 3,4 Coorte: no exército romano, as legiões eram divididas em coortes. Stringiamoci a coorte significa cerrar fileiras unidos para combater.
  4. Dovunque è Legnano: qualquer cidade italiana é Legnano, onde em 1176 as comunas lombardas derrotaram o imperador Frederico Barbarossa.
  5. Ferruccio: todo homem é como Francesco Ferruccio, que em 1530 defendeu Florença contra o imperador Carlos V.
  6. Balilla: é o apelido do menino genovês Giovan Battista Perasso, que, em 1746, ao lançar uma pedra contra as tropas austro-piemontesas que ocupavam a cidade, fez explodir uma revolta popular contra os austríacos.
  7. Vésperas: Em 1282, os sicilianos se rebelaram contra os franceses invasores numa tarde, na hora das "vésperas". A revolta é chamada Vésperas sicilianas.
  8. A águia, símbolo do Império Austríaco, perde as penas.
  9. a Áustria, aliada à Rússia (o cossaco), bebeu o sangue polonês, dividiu e desmembrou a Polônia. Mas o sangue bebido queima o coração dos opressores.