Página:A Estrella do Sul.pdf/177

A ESTRELLA DO SUL

171


nições sufficientes quinhentas ou seiscentas cargas de polvora e chumbo, e ficou muito admirado quando soube que quatro mil tiros por espingarda era o minimo que a prudencia aconselhava n'aquelle paiz de animaes ferozes e de indigenas não menos temiveis.

Cypriano tambem teve de se munir com dois rewolvers de bala explosiva, e completou o seu armamento com a compra de uma soberba faca de matto, que figurava havia cinco annos nas vidraças do armeiro de Potchefstrom, sem que ninguem se tivesse lembrado de a comprar.

Foi tambem Li que insistiu para que se fizesse esta acquisição, affirmando que nada seria tão util como a tal faca. E tomou elle pessoalmente o encargo de conservar o fio e o polido d'aquella folha curta e larga, muito parecida com o sabre-bayoneta da infanteria franceza, mostrando assim a confiança que tinha nas armas brancas, confiança que é commum aos homens da sua raça.

Alem d'isso o prudente china não se tinha separado da famosa caixa encarnada. Lá encafuou, ao lado de uma multidão de caixinhas e ingredientes mysteriosos, cerca de sessenta metros d'essa corda flexivel e delgada, mas de cordões muito fortes, a que os marinheiros dão o nome de linha. E, perguntando-lhe alguem para que a destinava elle, respondeu evasivamente :

— Então no deserto não se ha de estender tambem a roupa a enxugar ?

Em doze horas estavam feitas todas as compras. Lençoes impermeaveis, cobertores de lã, utensilios de cozinha, abundantes provisões de bôca em latas, jugos, cadeias, correias de sobresalente, tudo isso formava o deposito geral accommodado na parte posterior do carrão. A parte anterior, cheia de palha, devia servir de leito e abrigo a Cypriano e seus companheiros de viagem.