Página:A Estrella do Sul.pdf/205

A ESTRELLA DO SUL

199


Discutiu-se o caso. Em summa decidiu-se levantar o acampamento ao primeiro alvor da madrugada, e ir tentar fortuna para o lado do valle onde se acabava de descobrir elephantes.

Depois d'isto assim combinado, em pouco tempo deram conta do jantar, e em seguida retiraram-se para debaixo da cobertura do carrão, excepto James Hilton, a quem pertencia a vigia d'aquella noite, e que por isso ficou ao pé da fogueira.

Haveria duas horas que estava só, e começava já a ceder á modorra, quando se sentiu levemente empurrado por um cotovello. Abriu os olhos. Annibal Pantalacci estava sentado junto d'elle.

— Não posso dormir, e parece-me que era melhor vir fazer-lhe companhia, disse o napolitano.

— O senhor é muito amavel, mas cá por mim não desgostava de dormir agora algumas horas! respondeu James Hilton estiraçando os braços. Se o senhor quer, podemos combinar a cousa perfeitamente: eu vou para o seu logar no carrão e o senhor fica aqui no meu!

— Não!... Deixe-se estar, porque tenho que lhe fallar! redarguiu Annibal Pantalacci com voz surda.

Olhou em roda para verificar se estavam sós, e continuou:

— O senhor já caçou elephantes?

— Já, respondeu James Hilton, duas vezes.

— Então sabe que é uma caça perigosa! O elephante é tão intelligivel, tão fino, tem armas tão valentes! Raras vezes o homem fica vencedor na lucta contra elle.

— Ora adeus! Isso é para os desastrados! respondeu James Hilton. Mas com uma carabina com bala explosiva não ha muito que receiar.

— É isso mesmo o que eu pensava. replicou o napolitano. Mas não obstante, póde haver accidentes!... Ora imagine que