Página:A Novella Semanal.pdf/11

A NOVELLA SEMANAL
3

O desconhecido, porém, quebrou o corpo, e a cabeçada do atacante foi de encontro á parede, ao mesmo tempo que um pé bem manejado plantava-o no chão com elegantissima rasteira. O mordedor, tonto e confuso, mal ergueu-se e já desabou de novo, cerceado por outra gentil rasteira. Passára, imprevistamente, de aggressor a aggredido e, desnorteado, deu sebo ás canellas, indo apalpar o gallo a cem passos de distancia.

Emquanto isso o Petronio, concertando a gravata, com grande calma, dirigiu a palavra aos moços elegantes, assombradissimos:

— Só uma besta destas dá soltas sem negaças ! Já dizia o Cincinato Quebra-Louças: soltas sem negaças só em lampeão de esquina. Se grampeasse, inda vá lá. O- Trinca-Espinhas, o Estrepolia, o Zé da Gambôa e outros praxistas admittem-n'a neste caso, e isto mesmo só quando o semovente não é firme de letra.

E gyrando a bengala de unicornio entre os dedos annelados, finamente superior, concluiu, com saudades:

— Já gostei desse divertimento. Hoje, minha posição social e o meio em que vivo não m'o permittem mais. Vejo, porém, que a arte está decaindo...

E lá se foi, imperturbável e superior, murmurando comsigo:

— Soltas sem negaças . . . Forte besta !

Os elegantes, passado o momento de estupor, planearam solenne desforra.

Contratariam o famoso Dente de Ouro, da Saude, para quebrar a prôa ao prosa.

Tudo ajustado, no dia marcado postaram-se no carreiro, com o rompe-e-rasga á frente.

— E' aquelle! disseram, quando repontou ao longe a cartola clara do Petronio.

Dente de Ouro avançou feito para o desconhecido. Ao fronteal-o, porém, entreparou, e abriu-se num grande sorriso palerma :

— O' 22! Você por aqui ? ! . . .

— Cala o bico moleque, e toma lá para o cigarro. Mas afasta-te, que hoje sou gente e não ando em más companhias, disse o Petronio, correndo-lhe uma pellega e seguindo caminho.

Dente de Ouro voltou ao grupo dos elegantes, alisando a nota.

— Então ? perguntaram elles, desnorteados com o desenlace imprevisto.

— 'cês 'tão bestas! Pois aquelle é o 22 da "Marajó", corpo fechado para sardinha e pé que nunca malou saque. Estrompar o 22? ! 'cês 'tão bestas !. . .

MONTEIRO LOBATO