Abrir menu principal


POST MORTEM


Quando do amor das Fórmas ineffaveis
No teu sangue apagar-se a immensa chamma,
Quando os brilhos estranhos e variaveis
Esmorecerem nos trophéus da Fama.

Quando as niveas Estrellas inviolaveis,
Doce velario que um luar derrama,
Nas clareiras azues illimitaveis
Clamarem tudo o que o teu Verso clama.