Página:Broqueis.pdf/24



Talvez que o sangue impuro e flammejante
Do teu languido corpo de bacchante,
Da langue ondulação de aguas do Rheno

Estranhamente se purificasse...
Pois que um veneno de áspide vorace
Deve ser morto com igual veneno...