Página:Broqueis.pdf/32



Braços nervosos, tentadôras sérpes
Que prendem, tetanizam como os hérpes,
Dos delyrios na trémula cohórte...

Pompa de carnes tépidas e flóreas,
Braços de estranhas correcções marmoreas,
Abertos para o Amor e para a Morte!