Página:Broqueis.pdf/72



Não veio, é certo, dos paúes da terra
Tanta belleza que o teu corpo encérra,
Tanta luz de luar e paz saudosa...

Vem das constellações, do Azul do Oriente,
Para triumphar maravilhosamente
Da belleza mortal e dolorosa !