Página:Fantina- (scenas da escravidão).pdf/131

XXXVI

Tendo acabado de almoçar Frederico foi passear á roça.

D. Luzia entrou para o escriptorio e chamou Fantina, que appareceu-lhe como sempre trazendo um riso alegre nos labios vermelhos. Fazendo diversas perguntas a respeite de Frederico e de Rosa, D. Luzia obrigou Fantina a contar tudo quanto sabia e a prometter opposição á vontade do senhor.

A' Rosa estava reservada outra sorte de interrogatorio.

D. Luzia chamou a Felisberto e levou Rosa ao paiol onde estavam os instrumentos do castigo.

Mandou amarrar a rapariga a uma escada, levantar impudentemente as saias e applicar ás nádegas cincoenta vergastadas. Ainda não estava a execução no meio e já o sangue ensopando o instrumento corria pelo chão, e nem um grito. Só se ouvia um gemido cavo que sahia pelas narinas, porque a bocca estava sobre um pau e calafetada com pedaços de algodão. O olhar