Página:Fantina- (scenas da escravidão).pdf/37

VIII

—Que não aborrecessem, que era senhora de si, que não supportava massadas,—dizia D. Luiza ao compadre Zé de Deos.

—E' o que vem a acontecer. Todos muito mal satisfeita, senhora comadre.

—Que estejam;—murmurou ella levantando-se para ver quem chegava no terreiro.

Era o Frederico com o Juca.

Reunidos na espaçosa sala onde os moveis de jacarandá preto derramavam uma côr triste e melancolica, D. Luzia perguntava a Frederico como se houvera pela roça. Elle era muito corado, com os cabellos em desalinho pela testa, ia os concertando e contando as particularidades frias do passeio. O Zé de Deos encostado ao portal riscava phosphoros um atraz do outro, para accender uma ponta de cigarro que já lhe chammuscava os beiços. De vez em quando dizia lá comsigo:

3