Página:Fantina- (scenas da escravidão).pdf/57

FANTINA

53

— Oh ! vossê está cega ? que coisa !

— Pois está tão escuro !!

Elle concluiu dizendo, que quando ella vinha procura-lo á calada da noite, sem elle ter chamado, nunca se esbarrou.

Um ar fresco e molle encheu o quarto, que abafava. Então elle aspirou largamente, e quiz dormir no collo de Margarida.

— Que é isto, seu Zé ?

— Não é nada, não é nada.

Ella assentada, encostada á parede, com as pernas enforquilhadas, fazia travesseiro pira o seu Zé, que roncava muito, com a cabeça appoiada francamente, no seu largo ventre.

De muito mau geito, ella foi estendendo.as pernas até têl-o bem aconchegado. Mechia as costas de encontro á parede procurando coçar as pulgas, e via o seu homem bolir com os pés. Punha a mão nelle e ia esfregando-o da cabeça aos pés.

Uma vaca no campo, depois que o bezerro acaba de mamar, não o lambe tão bem como Margarida esfregava as pulgas do seu Zé.