Página:Fantina- (scenas da escravidão).pdf/62

58

FANTINA

(Deus me perdôe, e bensia-se) tenho medo desse padre me por a perder. Elle é italiano, e esses padres tem até roubado mulheres casadas, como a do Luiz Ferreira, que o sr. conheceu muito bem. Emfim, está o diabo, seu Zé de Deus.

— E tudo eu arranjaria. Daniel, si D. Luzia não se casasse com elle.

Si eu fosse o preferido como desejava, casava você com Fantina no mesmo dia, e ainda dava um dote.

Daniel muito calado enxugava as lagrimas com a manga do gibão de lan azul.

— Sabe o que mais ?—disse o Zé de Deus, e olhou para Daniel com olhos tigrinos. Vou atrapalhar o casamento intrigando o Frederico. Escrevo á comadre uma carta contando a pandega da cidade na noite da festa do Divino, e ella o põe para fora de casa.

Daniel que conhecia o caracter de D. Luzia, sorriu achando fallivel a alavanca com o Zé de Deus tentava mover o mundo de Frederico.

Depois propoz a Daniel o assassinato de Frederico, e como elle se negasse, o Zé de Deus encaminhou-se p'ra o quarto, com o fim de escrever a carta.