Página:Fantina- (scenas da escravidão).pdf/79

XX

Estavam os dous á mesa do almoço quando Fantina entrou com a carta do Zé de Deus. Mastigando um pedacinho de frango, ella foi abrindo a carta e começou a ler. A paixão pelo rapaz que lhe caiu d'olho fazia-a descrente ; por isso dando uma risada frescalhona disse a Frederico :

— Já viu o que aquelle compadre das duzias falla do senhor ?

— Não ; disse Frederico, percebendo a enleada.

— Eu leio. Vejam só até onde vai a insolencia. E começou a leitura da carta nos seguintes termos :

« Illustrissima minha respeitavel comadre, senhora D. Luiza Ferreira da Silva.»

« Que minha comadre e toda família que habita o Ingaseiro tenham passado bem, é o que de coração desejo.