Página:Leal consselheiro.djvu/340


O LEAL CON$$?LHEIRO. 329 E nosso fundamento era geera! auysamento de boas u5otades, guard?o per razoado ?re leaaes cora?oo?s,'em �eito, dicto, e ?ens?amento porende sey que ]eaidade pera boo reg?mento casa, he grande, e pryncipal �undamento E assy pres- ta muyto no boo estado ?os reynos? ?dades? e Pomn?e me parece seer muyto necessaria em to?os tres regymentos .s. no da pessoa por manteer iealdade anosso senhor, como dicto he, no da casa por agu&r- dar ael que toda maldade nos defende Edesy atodo9 homeL?s e molhere? segundo he razS. Nos senhorios, cidaries, e villas como aqueila uirtude sero aquai boo t?gimento nom pode longamente durar, ni? teer bern se pode sero boo conhecimentb de nossas for?as, po- deres e paixoo8s, amSdo, 6eguyndo aeila, e as outraS uirtudes, guardandonos sempre dos malles seus con- trairos, sobre que sou trautado faz fundamento, pros- seguymento, e fym, pot seruy?o de nosso senhot ?leos, e no?a ?enhora uirgem Maria sua muy sancta Madra Aos quaaes daiguil bern se neelie he dicto, aeja dado 1ouuor e gloria E pot fazer u6otade auos Muyto ex- eeilente Senhora Ra?nha, pedindolhes que uoa outor- guam ?empre na uyda presente, e no seu reyno, com- prymento deuossoo boos desejos e mais oque sabe quo pets uos he reelhot. Areera. Adeos gra?as. .Scabado de copJar em 14 de Ma!o de 1830 . ]?ibllotheca Real de Parts ? T? Digitized by GOO2J(?