Página:Negrinha- Contos (1920).pdf/57

                     O DRAMA DA GEADA 55


D. Anna surgira á porta da casa e ao ouvir a boa nova exclamou, chorando e sorrindo:

— Bemdito sejas, meu Deus !...


Minutos depois partiamos todos de rumo á bossoróca e a cem passos della avistavamos um vulto ás voltas com os caféeiros requeimados. Approximamo-nos. Era o major. Mas em que estado ! Roupa em frangalhos, cabellos sujos de terra, olhos vitreos, desvairados, tinha nas mãos uma lata de tinta e um pincel. Não deu fé da nossa chegada. Não interrompeu o serviço. Continuou — continuou a pintar, uma a uma. do risonho verde esmeraldino das venezianas, as folhas requeimadas do cafezal morto...

D. Anna, estarrecida, entreparou attonita. Depois, comprehendendo a tragedia. rompeu em chôro convulsivo?

— Louco... louco, meu Deus !


-----------------