Página:Negrinha- Contos (1920).pdf/77

O JARDINEIRO TIMOTHEO


O CASARÃO da fazenda era ao geito das velhas moradas coloniaes: — frente com varanda, uma ala e pateo interno. Aqui ficava o jardim, tambem elle á moda antiga, cheio de plantas antigas cujas flores punham no ar um saudoso perfume d'antanho. Quarenta annos havia que lhe zelava dos canteiros o bom Timotheo, um preto branco por dentro que os annos começavam a branquear por fóra. Timotheo o plantou quando a fazenda se abria, e a casa inda cheirava a reboco fresco e tintas d'oleo recentes, e desd'ahi — lá se iam quarenta annos — ninguem mais teve licença de pôr a mão em "seu jardim".