Página:Negrinha- Contos (1920).pdf/95

                      O JARDINEIRO TIMOTHEO   93


Tudo adormecera na terra, em breve pausa de vida, para o resurgir do dia seguinte.

Só não resurgiria Timotheo. Lá agoniza elle ao pé da porteira. Lá morre. E lá o encontrará a manhã, enrijecido pelo relento, de bôrco na grama orvalhada, com a mão estendida para a fazenda, num derradeiro gesto de ameaça :

— Deixa estar !...



——————————————————