Página:Phalenas.pdf/108

— 104 —

        Alli suspira e canta,
Abraçando-se á tremula folhagem
Que se espelha na onda voluptuosa.
        Alli a desditosa,
A triste Ophelia foi sentar-se um dia.
Enchião-lhe o regaço umas capellas
        Por suas mãos tecidas
        De varias flôres bellas,
        Pallidas margaridas,
E rainunculos, e essas outras flôres
A que dá feio nome o povo rude,
        E a casta juventude
Chama — dedos da morte. — O olhar celeste
Alevantando aos ramos do salgueiro,
Quiz alli pendurar a offrenda agreste.
        N'um galho traiçoeiro
Firmára os lindos pés, e já seu braço.
        Os ramos alcançando,
Ia depôr a offrenda peregrina
        De suas flôres, quando
        Rompendo o apoio escasso,
        A pallida menina
Nas aguas resvalou; forão com ella
Os seus — dedos da morte — e as margaridas.
        As vestes estendidas