Abrir menu principal

Página:Phalenas.pdf/210

— 206 —
LXXXVII

Resolve Heitor voltar ao valle amigo,
Onde ficára a noiva abandonada.
Transpõe o lar, affronta-lhe o perigo,
E chega emfim á terra desejada.
Sobe o monte, contempla o cedro antigo,
Sente abrir-se-lhe n′alma a flôr murchada
Das illusões que um dia concebêra;
Rosa extincta da sua primavera!

LXXXVIII


Era a hora em que os serros-do oriente
Formar parecem luminosas urnas;
E abre o sol a pupilla resplendente
Que ás folhas sorve as lagrimas nocturnas;
Frouxa briza amorosa e diligente
Vai acordando as sombras taciturnas;
Surge nos braços d′essa aurora estiva
A alegre natureza rediviva.

LXXXIX


Campa era o mar; o valle estreito berço;
De um lado a morte, do outro lado a vida
Canto do céo, resumo do universo