Abrir menu principal

Página:Phalenas.pdf/35

– 33 –

Nem tu mesma fugiste á sorte dos combates,
Grecia, mãi do saber. Mas que póde o oppressor,
Quando o genio sorrio no berço de uma serva?
Pallas despe a couraça e veste de Minerva;
Faz-se mestra a captiva; abre escola ao senhor.

Agora, já cansada e respirando a custo,
Desce; vem repousar no monumento augusto.
Gottejão-lhe inda sangue as azas colossaes.
A sombra do terror assoma-lhe á pupilla.
Vem tocada das mãos de Cesar e de Sylla.
Vê quebrar-se-lhe a força aos vinculos mortaes.

         D'um lado e de outro lado, azulão-se
         Os vastos horizontes;
         Vida resurge esplendida
         Por toda a creação.
         Luz nova, luz magnifica
         Os valles enche e os montes....
         E além, sobre o Calvario,
         Que assombro! que visão!

         Fitei o olhar. Do pincaro
         Da colossal montanha
         Surge uma pomba, e placida