Abrir menu principal

Página:Phalenas.pdf/92

– 88 –

A maciez do ninho
Pela amplidão do ar.

Pudesse eu ir comtigo,
Gozar comtigo a luz;
Sorver ao pé do amigo
Vida melhor e a flux!

Ir escrever nos campos,
Nas folhas dos rosaes,
E á luz dos pyrilampos,
Ó Flora, os teus jornaes!

Da estrella que mais brilha
Tirar um raio, e então
Fazer a gazetilha
Da immensa solidão.

Vai tu que podes. Deixa
Os que não podem ir,
Soltar a inutil queixa,
Mudar é reflorir.