Página:Phalenas.pdf/95

ESTANCIAS A EMMA




I



Sahímos, ella e eu, dentro de um carro,
Um ao outro abraçados; e como era
Triste e sombria a natureza em torno,
Ia comnosco a eterna primavera.

No cocheiro fiavamos a sorte
D'aquelle dia, o carro nos levava