Abrir menu principal

Página:Ultimos Sonetos.pdf/127


DOMUS AUREA


De bom amor e de bom fogo claro
Uma casa feliz se acaricia...
Basta-lhe luz e basta-lhe harmonia
Para ella não ficar no desamparo.

O sentimento, quando é nobre e raro,
Veste tudo de candida poesia...
Um bem celestial d'elle irradia
Um doce bem que não é parco e avaro.