Abrir menu principal

Página:Ultimos Sonetos.pdf/72

66
ULTIMOS SONETOS


Meu ser anceia por teu doce apoio,
Nos outros seres só encontra joio,
Mas só no teu todo o divino trigo.

Sou como um cégo sem bordão de arrimo
Que do teu ser, tacteando, me approximo,
Como de um céo de carinhoso abrigo.