Abrir menu principal

Página:Ultimos Sonetos.pdf/73


MUDEZ PERVÉRSA


Que mudez infernal teus labios sérra
Que ficas vago, para mim olhando,
Na attitude da pedra, concentrando
No entanto, n'alma, convulsões de guerra!

A mim tal fél essa mudez encérra,
Taes demonios revéis a estão forjando,
Que antes te visse morto, desabando
Sobre o teu corpo gróssas pás de terra.