Abrir menu principal

Página:Ultimos Sonetos.pdf/74

68
ULTIMOS SONETOS


Não te quizéra nesse atroz e summo
Mutismo horrivel que não géra nada,
Que não diz nada, não tem fundo e rumo.

Mutismo de tal dôr desesperada,
Que, quando o vou medir com o estranho prumo
Da alma, fico com a alma allucinada!