Página:Ultimos Sonetos.pdf/87


CRUZADA NOVA


Vamos saber das almas os segrêdos,
Os circulos pathéticos da Vida,
Dar-lhes a luz do Amor compadecida
E defendêl-as dos secrétos medos.

Vamos fazer dos áridos rochedos
Manar a agua lustral e appetecida,
Pelo ancioso coração bebida
No silencio e na sombra d'arvoredos.