Que razom cuidades vós, mia senhor

Que razom cuidades vós, mia senhor,
dar a Deus, quand'ant'El fordes, por mi
que matades, que vos nom mereci
outro mal senom que vos hei amor
aquel maior que vo-l'eu poss'haver,
ou que salva[1] lhi cuidades fazer
da mia morte, pois por vós morto for?

Ca na mia morte nom há razom
bona que ant'El possades mostrar,
desi nom o er podedes enganar,
ca El sabe bem quam de coraçom
vos eu am'e nunca vos errei;
e por em quem tal feito faz bem sei
que em Deus nunca pod'achar perdom.
 
Ca de pram Deus nom vos perdoará
a mia morte, ca El sabe mui bem
ca sempre foi meu saber e meu sem
en vos servir. Er sabe mui bem
que nunca vos mereci por que tal
morte por vós houvesse, por em mal
vos será quand'ant'El formos alá.

NotasEditar

  1. Fazer salva ou salvar. Justificar-se, livrar-se da culpa de que é accusado.-> Er. Pronome pessoal indeclinável da 1ª e 3ª pessoa. Em lugar de El segundo o A. do Elucidário. J.P. Ribeiro nas Disset. chronol. e críticas, t.4, p. 2. App 6 p 121. Corrigindo o Elucidário, afirma que Er ou Her foi sempre uma partícula expletiva da língua, e não supletória do artigo. Mr Raynonard no Lexique roman traduz er por presentemente, agora.