Abrir menu principal
A Vênus loura
por Luís Delfino
Publicada em Rosas Negras.


Essa tristeza sempre em ti me espanta!
Que tens na cinza dessa cisma toda?
Minh'alma fica ao ver-te assim mais douda,
Minh'alma, Ofélia, que chorando, canta.

Que colhe a flor a esmo, e a junta à planta
Espinhosa do campo, e corre à boda,
E vai à morte, e nos ervais enloda
A alva veste de noiva e o olhar de santa...

Por toda parte, à mão aceso facho,
Como Eudimião, Diana — a Caçadora,
Busco o que és tu, e em ti, o que és, não acho...

Que segredo em ti mora, ó Vênus Loura?
Quem me dera descer por ele abaixo...
Oh! quem dentro de ti morrendo fora...