Abrir menu principal
A primavera
por Maria J. Magno
Poema publicado no Jornal das Famílias (novembro de 1878)


Vem, ó primavéra linda,
Com teu manto encantador;
Dando vida e dando brilho,
Do prado á relva e á flor.

Comtigo nasce alegria,
Para todo o coração;
Es um sorriso ineffavel
Que Deus manda á Creação.

Eu já vejo os verdes prados
De flores se matizarem;
E os alegres passarinhos,
Nas palmeiras se embalarem.

As noites limpas e frescas,
A briza á gemer contente,
As estrellas luminosas
E o céo azul transparente!...

E lá do fundo das mattas.
O saudoso rouxinol
Acorda os echos, saltando
Seus trinos ao pae do sol!

Ai! risonha primavéra
Como es formosa e gentil!
E’s rainha dos amores,
Que traz nos folguedos mil!

Surge, surge, ó primavéra,
Sempre com doce magia;
Traze sempre com teu brilho
Amor, prazer e alegria.