Abrir menu principal
Agora vẽo o meu amigo
por Fernán Rodríguez de Calheiros


Agora vẽo o meu amigo
e quer-se logu'ir e non quer migo
               estar.
     Have-l'-hei ja sempr'a desejar.

Nunca lho posso tanto dizer
que o comigo possa fazer
               estar.
     Have-l'-hei ja sempr'a desejar.

Macar lho rogo, non mi ha mester,
mais que farei, pois migo non quer
               estar?
     Have-l'-hei ja sempr'a desejar.