Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Cardoso (Francisco José)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Cardoso (Francisco José)


CARDOSO. (Francisco José).

Filho do Brigadeiro Manuel José Cardoso, Fidalgo Cavalleiro da Casa Real de Portugal, Commendador da Ordem de Christo, e de D. Maria Francisca de Portugal e Castro. Neto

paterno do Coronel Manuel José Cardoso, Fidalgo Cavalleiro da Casa Real, Commendador da Ordem de Christo, Senhor do Morgado da Vaccaria, com assento no Solar desde D. Affonso I, cujo Solar é a quinta dos Cardosos em Lamego; e de sua mulher D. Anna Monteiro de Barros; e por parte materna de Christovam de Portugal e Castro, Fidalgo Cavalleiro da Casa Real, Commendador da Ordem de Christo; e de D. Francisca de Assis da Nobrega Botelho.

Casou com D. Propicia Francisca Carneiro da Fontoura Barreto.

Negociante matriculado; proprietario nesta Côrte, e na villa de Itaguahy; dono do Canal de S. Pedro de Alcantara; Presidente da Companhia Seropedica Fluminense; Commandante Superior da 12ª Legião da Guarda Nacional, Commendador da Ordem de Christo.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo partido em tres palas, as quaes são partidas em faxa: na primeira, tendo por cima as armas de Portugal (as antigas da Casa de Bragança), e por baixo as dos Castros, — que trazem em campo de ouro treze arruelas de azul em tres palas; na segunda as armas dos Monteiros, — em campo de prata tres cornetas de preto em roquete, com bocaes de ouro e cordões vermelhos; e a dos Barros, — em campo vermelho tres bandas de prata e no campo nove estrellas de ouro, póstas 1, 3, 3 e 2; na terceira pala as armas dos Nobregas, — em campo de ouro quatro palas de góles, e a dos Botelhos, — em campo de ouro quatro bandas de góles; e no meio um escudete com as armas dos Cardosos, — em campo vermelho dois cardos floridos com flôres e raizes de prata, entre dois leões de ouro batalhantes, armados de góles. Timbre: o dos Cardosos, que é uma cabeça de leão de ouro, sahindo-lhe da boca um cardo de verde florido de prata. (Brazão passado em 16 de Agosto de 1860. Reg. no Cartorio da Nobreza, Liv. VI, fls. 44).