Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Coutinho (Balthazar Rangel de Souza)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Coutinho (Balthazar Rangel de Souza)


COUTINHO. (Balthazar Rangel de Souza).

Natural da freguesia de S. Salvador do Mundo da Guaratiba, bispado do Rio de Janeiro, Capitão, Cavalleiro professo na Ordem de Christo.

Filho do Doutor Miguel Rangel de Souza Coutinho, natural da dita freguesia, ao qual se passou brazão de armas das mesmas familias a 3 de Março de 1727, e de D. Helena da Cruz Freire. Neto paterno de Julião Rangel de Souza, e de D. Maria Josepha Pereira de Mariz, e pela parte materna do Capitão Bento Figueiroa Bravo, e de D. Josepha Freire. Bisneto do Capitão Balthazar Rangel de Souza, e de D. Angela de Mendonça. Terceiro neto de Vasco Fernandes Coutinho, senhor e donatario da Villa e Capitania do Espirito-Santo; cujos netos na Côrte de Lisboa lograram os titulos de Almotaceis-Móres do Reino, e a dita D. Angela de Mendonça era filha de Francisco de Souza Coutinho, que era segundo neto de D. Jorge de Souza, irmão de D. Antonio de Souza, Conde do Prado. Terceiro neto pela parte materna do Capitão Constantino Machado Sampaio, e de D. Josepha da Silva e Mariz Pereira, filha de Duarte Sodré Pereira, senhor de Aguas-Bellas.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo esquartelado: no primeiro quartel as armas dos Souzas do Prado, que são: escudo esquartelado no primeiro e quarto em campo de prata as cinco quinas de Portugal, no segundo e terceiro quarteis, em campo de prata, um leão rompante de vermelho. No segundo quartel as armas dos Coutinhos, — em campo de oiro cinco estrellas vermelhas póstas em santor. No terceiro as armas dos Pereiras, — em campo vermelho uma cruz de prata florida, e vasia do campo. No quarto as armas dos Rangeis, — em campo azul uma flôr de liz de prata, com uma orla de oiro, e nella sete romans verdes com bagos vermelhos. Timbre: dos Souzas, que é um leão rompante vermelho, com uma grinalda florida de verde, e por differença uma brica vermelha com farpão de oiro. (Brazão passado em 17 de Setembro de 1816. Reg. no Liv. I, a fls. 66 do Reg. dos Brazões e armas de Fidalguia do Reino Unido e suas Conquistas).