Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Itanhaem (Barão com grandeza e Marquez de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Itanhaem (Barão com grandeza e Marquez de)


ITANHAEM. (Barão com grandeza e Marquez de) Manuel Ignacio de Andrade Souto Maior.

Nasceu em 5 de Maio de 1782, em Marapicú, Rio de Janeiro.

Falleceu em 17 de Agosto de 1867.

Filho do Brigadeiro Ignacio de Andrade Souto Maior Rondon, Fidalgo Cavalleiro, e Mestre de Campo no Rio de Janeiro, e de sua mulher D. Maria de Athayde Portugal, filha de José Pinto Coelho, Moço Fidalgo,

Coronel de Cavallaria em Pitanguy, e de sua mulher D. Antonia Joanna Miranda da Costa.

Casou quatro vezes, a primeira com D. Theodora Egina Arnaut do Rivo Ramalho, sua prima, em Lisboa, em 1807, filha de João Pereira Ramos de Azevedo Coutinho, Fidalgo da Casa Real, Desembargador do Paço, e de sua mulher D. Maria do Cardai Ramalho da Fonseca Arnaut do Rivo, fallecida em 1828; a segunda vez, com D. Francisca Mathilde Pinto Ribeiro; a terceira, com a irmã da precedente, D. Joanna Severina Pinto Ribeiro, Açafata da Rainha D. Carlota, e a quarta vez em 1834 com D. Maria Angelina Beltrão, Dama de Honor da Imperatriz, que nasceu a 17 de Fevereiro de 1805 e falleceu em 16 de Setembro de 1867. A segunda e terceira mulher do Marquez, eram ambas filhas de Henrique José Pinto Ribeiro de Vasconcellos e Souza, Fidalgo Cavalleiro da Casa Real, e de sua mulher D. Joaquina Firmina Pereira de Souza.

Era Coronel do Regimento de Milicias de Guaratiba, 2º Senhor da Casa de Matto-Grosso, Senador pela Provincia de Minas Geraes, em 1844.

Serviu de Alferes-Mór na Corôação e Sagração de D. Pedro I, e no juramento da Constituição Politica do Imperio; representou mais tarde El-Rei D. Fernando de Portugal no Baptismo da Princeza Imperial D. Izabel, em 1846. Em 1833 foi nomeado tutor de S. M. o Imperador D. Pedro II, e de suas Augustas Irmans, em substituição á José Bonifacio de Andrada e Silva.

Era Grande do Imperio, Gentil-Homem da Imperial Camara, Mordomo-Mór, Estribeiro-Mór, Grã-Cruz da Imperial O. de Christo, de S. Januario das Duas Sicilias, de S. Mauricio e S. Lazaro, da Legião de Honra, Cavalleiro da O. de Villa Viçosa de Portugal.

CREAÇÃO DOS TITULOS: Barão em Portugal, em 3 de Maio de 1819 (D. João VI). Barão com grandeza por decreto de 1 de Desembro de 1822. Marquez por decreto de 12 de Outubro de 1826.