Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Lamare (Visconde com grandeza de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Lamare (Visconde com grandeza de)


LAMARE. (Visconde com grandeza de) Joaquim Reymundo de Lamare.

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 15 de Outubro de 1811.

Falleceu nessa cidade em 10 de Junho de 1889.

Filho de Joaquim Raymundo de Lamare e de sua mulher D. Bernardina

de Senna de Lamare.

Casou em 1 de Janeiro de 1843 com D. Rita Augusta de Lima.

Sentou praça de aspirante de Marinha em 16 de Setembro de 1826. Matriculando-se na Academia de Marinha, ahi concluio o curso em 1829.

Serviu em 1840 na Divisão Naval em Operações na Provincia do Rio Grande do Sul. Foi encarregado de inspeccionar na Europa a construcção de alguns vapores de guerra, em 1852. Commandante da Divisão Naval estaccionada no Rio da Prata, em 1855, e do Corpo de Imperiaes Marinheiros. Presidente da Provincia de Matto-Grosso em 1858. Membro do Assembléa Geral pela mesma Provincia na 11ª legislatura de 1861 a 1864. Ministro de Estado da Marinha em 1862. Chefe de Esquadra em 1864, como Vice-Almirante foi em 1867 nomeado Official General Commandante em Chefe das Forças do Amazonas. Fez a campanha do Paraguay. Foi Presidente da Provincia do Pará, em 1867, e Commandante das Armas da mesma Provincia. Ajudante-General da Armada em 1873. Senador pela Provincia de Matto-Grosso, em 1882, foi promovido e reformado no posto de Almirante em 1882, tendo ainda sido em 1884 Ministro de Estado da Marinha.

Gentil-Homem da Casa Imperial, Veador da Casa Imperial, Guarda Roupa de S. Magestade, era Conselheiro de Guerra, do Conselho de S. Magestade, Membro effectivo do Conselho Naval e Conselheiro de Estado effectivo

Grã-Cruz da Imperial Ordem de S. Bento de Aviz, Commendador da Imperial Ordem de Christo, Dignitario da Imperial Ordem da Rosa, Official da Imperial Ordem do Cruzeiro, era tambem Grã-Cruz da Real Ordem de Christo, de Portugal, da Ordem de S. Gregorio Magno, de Roma, da Ordem Ernestina da Casa Ducal da Saxonia, da Imperial Ordem de S. Estanisláo, da Russia, Grande Official da Legião de Honra, da França, e Commendador da Imperial e Real Ordem da Corôa de Ferro, da Austria. Tinha as medalhas de oiro da passagem de Toneleros, da passagem de Humaytá, e da Campanha Geral do Paraguay, com passador de oiro.

CREAÇÃO DO TITULO: Visconde com grandeza por decreto de 13 de Junho de 1888.