Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Macahubas (Barão com grandeza de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Macahubas (Barão com grandeza de)


MACAHUBAS. (Barão com grandeza de) D.r Abilio Cesar Borges. Nasceu no Rio das Contas, Provincia da Bahia, em 9 de Setembro de 1824.

Falleceu em 16 de Fevereiro de 1891, no Rio de Janeiro.

Filho de Miguel Borges de Carvalho, e de sua mulher D. Mafalda Maria da Paixão.

Doutor em medicina, pela Faculdade do Rio de Janeiro, em 1847, foi Director Geral da Instrucção Publica, fundador do Gymnasio Bahiano, em 1858, e do Collegio Abilio, no Rio de Janeiro, era um notavel educador. Foi 1º Secretario da Academia Philomatica, Director Geral dos Estudos na Bahia, em 1856, socio do Instituto Historico e Geographico Brasileiro, e de muitas associações scientificas e litterarias da Europa; Commendador da Imperial Ordem da Rosa, da de Christo, e da de S. Gregorio o Magno. Era Grande do Imperio.

CREAÇÃO DOS TITULOS: Barão por decreto de 30 de Julho de 1881. Barão com grandeza por decreto de 3 de Junho de 1882. MACEIÓ. (1º Visconde com grandeza e Marquez de) D. Francisco Affonso Mauricio de Souza Coutinho.

Nasceu em Turim, em 2 de Fevereiro de 1796.

Falleceu em Paris, em 14 de Agosto de 1834.

Filho de D. Rodrigo Domingos de Souza Coutinho Teixeira de Andrada Barbosa, 1º Conde de Linhares, e Senhor de Payalvo, que nasceu em Chaves, em Portugal em 4 de Agosto de 1755, e falleceu no Rio de Janeiro, em 26 de Janeiro de 1812, e de sua mulher D. Gabriela Maria Ignacia Azinari de S. Marsan, Dama de Varias Ordens, que falleceu no Rio de Janeiro a 24 de Janeiro de 1821, tendo nascido em Turim, a 31 de Julho de 1770, e era filha dos Marquezes de Caraglio e de S. Marsan.

Casou com D. Guilhermina Adelaide Carneiro Leão, no Rio de Janeiro, em 1824, que nascera em Lisboa a 2 de Janeiro de 1803 e falleceu nessa cidade em 18 de Agosto de 1856, era Dama de S. M. a 1º Imperatriz e filha dos Condes de Villa Nova S. José.

Foi Official da marinha Portugueza, e adherindo á Independencia, foi promovido á Capitão de Fragata, em 1824, passando para o Estado Maior do Exercito com o posto de Tenente-Coronel.

Ministro da pasta da Marinha, no 6º Gabinete de 1827, e Ministro plenipotenciario e Enviado Extraordinario á Côrte de Vienna, em 1828, tendo acompanhado a 1ª Imperatriz ao Rio de Janeiro. Era Veador de S. Magestade em 1818, Grande do Imperio, Gentil-Homem da Imperial Camara, Cavalleiro da I. Ordem de Malta, Cavalleiro da I. Ordem do Cruzeiro, Commendador da I. Ordem de Christo, de Izabel a Catholica de Hespanha, e Cavalleiro da Ordem da Torre e Espada de Portugal.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo esquartelado: no primeiro as armas dos Souza Chichorro que são, as do Reino, com um filete preto em contrabanda que não chegue i orla e passe por baixo do escudinho do meio; no segundo as armas dos Coutinho, em campo de oiro, cinco estrellas de vermelho com cinco pontas; e assim os alternos.

CORÔA: A de Marquez.

CREAÇÃO DOS TITULOS: 1º Visconde com grandeza por decreto de 12 de Outubro de 1824. Marquez por decreto de 12 de Outubro de 1826.