Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Ouro Preto (Visconde com grandeza de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Ouro Preto (Visconde com grandeza de)


Brasão do Visconde de Ouro Preto

OURO PRETO. (Visconde com grandeza de) Affonso Celso de Assis Figueiredo.

Nasceu na cidade de Ouro Preto, em Minas Geraes, em 21 de Fevereiro de 1837.

Falleceu em Petropolis, em 21 de Fevereiro de 1912.

Filho de João Antonio Affonso e de sua mulher D. Maria Magdalena de Figueiredo Affonso.

Casou, a 6 de Janeiro de 1859, com D. Francisca de Paula de Martins de Toledo, nascida em S. Paulo a 11 de Fevereiro de 1839 e fallecida no Rio de Janeiro a 22 de Abril de 1916; filha do Tenente-Coronel, Conselheiro Joaquim Floriano de Toledo, e de sua segunda mulher D. Anna Margarida da Graça Martins.

Bacharel em direito pela Academia de S. Paulo em 1858, foi Secretario de Policia; Deputado Provincial varias vezes; Deputado Geral pela Provincia de Minas Geraes, nas 12ª, 13ª e 17ª legislaturas, e Senador por sua Provincia natal, nomeado em 1879.

Chamado aos Conselhos da Corôa, foi Ministro da Marinha no 22º Gabinete de 3 de Agosto de 1866, da Fazenda no 27º Gabinete de 5 de Janeiro de 1878, nomeado em 8 de Fevereiro de 1879 e da Fazenda no 36º Gabinete, ultimo do Imperio, de 7 de Junho de 1889, do qual foi o Presidente do Conselho.

Era Conselheiro de Estado Ordinário nomeado em 1882, do Conselho de S. M. o Imperador.

Grande do Imperio, Veador de S. M. a Imperatriz, Grã-Cruz da Ordem de Isabel a catholica de Hespanha, do Leão Neerlandez, Socio Honorario e Vice Presidente do Instituto Historico e Geographico Brasileiro, Socio do Instituto do Ceará e de muitas outras Sociedades scientificas e litterarias nacionaes e estrangeiras.

BRAZÃO DE ARMAS: Em campo de oiro, tres triangulos equilateros de sable, formando pela direcção de seues lados um novo triangulo de mesma naturesa.

CORÔA: A de Conde.

CREAÇÃO DO TITULO: Visconde com grandeza por decreto de 13 de Junho de 1888.


PACHECO. (Barão com grandeza de) D.r Manuel Pacheco da Silva.

Nasceu na cidade no Rio de Janeiro, a 6 de Agosto de 1812.

Falleceu nessa cidade a 8 de Abril de 1889.

Filho de Manuel Pacheco da Silva, natural da Bahia, e de sua mulher D. Francisca de Ponce Pacheco da Silva, natural da Andaluzia.

Casou com D. Rosalina Dionisia Pacheco da Silva, nascida no Rio de Janeiro em 24 de Fevereiro de 1916, filha do Cirurgião-Mor João Carvalho de Vasconcellos e de sua mulher D. Theresa Leonissa Carvalho de Vasconcellos.

Doutor em Medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro em 1839. Em 1835 foi nomeado Membro do Conselho Director da Instrucção primaria e secundaria do Municipio da Corte e Inspector Geral interino; Membro da Junta Central de Hygiene Publica e Reitor do Collegio D. Pedro II. Por decreto de 1857 foi nomeado Director do Instituto Commercial do Rio de Janeiro, e em 1872 Preceptor dos Principes D. Pedro e D. Augusto, filhos do Duque de Saxe e de sua Alteza Imperial a senhora D. Leopoldina.

Era Grande do Imperio, do Conselho de S. Magestade, nomeado em 1860; Official da I. Ordem da Rosa, por serviços prestados a Instrucção Publica, em 1854, e em 1876 foi distinguido com a Cruz de 2ª Classe da Ordem Ducal Ernestina de Saxe-Coburgo Gotha.

CREAÇÃO DO TITULO: Barão com grandeza por decreto de a de Abril de 1887.